Do Coração do Bispo

O que é a Igreja Metodista Wesleyana?

Bispo Anderson Caleb

É uma denominação de raízes wesleyanas, que nasceu  de um avivamento no Brasil entre  metodistas sedentos de Deus nos anos 60, que anseavam por uma experiência mais profunda com o Espírito Santo e seu poder, bem como por santidade como estilo de vida.

Não é uma aventura de um grupo de iludidos ou rebeldes, revoltados com tudo e com todos que se achavam donos da verdade e anseavam por poder e dinheiro.

Não saímos de nenhum lugar, fomos convidados a nos retirar.
Mas mesmo assim já esquecemos e perdoamos aquilo e hoje temos comunhão com nossos amados irmãos metodistas, afinal continuamos metodistas.
Entretanto , o tempo passou e hoje sabemos quem somos e porque existimos.
Não nos arrependemos de existir e de ser quem somos. O que recebemos de Deus na década de sessenta está vivo em nossos corações:
O chamado para um avivamento pentecostal de santidade, obras sociais e amor a Palavra. Sem clericalismo e pompa. Dando espaço aos dons do Espírito, aos milagres, à profecia, às línguas, ao batismo no Espírito Santo como segunda bênção. Espalhando igrejas e a santidade bíblica sem fugir de nossa responsabilidade política de formar melhores cidadãos.

Queremos ser crentes simples entendendo e interpretando pra hoje o legado do Seculo XVIII.

Wesley nunca foi um cessacionista, cria nos dons de poder do Espírito, e foi acusado de entusiasta por permitir manifestações e expressões espontâneas de adoração em suas reuniões. No dia 1 de janeiro de 1739, numa vigília, relatou em seu diario que todos caíram no chão em face a presença manifesta de Deus, levantando-se em seguida em alegre adoração. Vigília conhecida como “o pentecostes Metodista”.

Somos igreja cristã,
wesleyana sim, wesleyólatra  jamais!
Não adoramos ou veneramos  o antigo pregador, John Wesley.

Assim como os batistas não adoram o batismo e nem a João Batista;
Assim como os luteranos não adoram  Lutero;
Assim como os presbiterianos não adoram os presbíteros;
Assim como os assembleianos não adoram uma “assembléia”;
Assim como os Congregacionais não adoram a ” congregação”,

Recebemos com entusiasmo a tradição e o legado wesleyano, todavia, não sem muita reflexão e com um espírito bereano, criticando tudo a luz das  Escrituras.

Que tradição Wesleyana é essa?

A tradição da santidade bíblica, das obras de misericórdia, do quadrlilatero wesleyano, de um pentecostalismo biblico, do valor dos pequenos grupos, da pregação ao ar livre, do lugar e relevancia ministerial dos leigos, os que nao são pastores, afinal pra nós todos membros e pastores tem valor igual, apesar de papéis diferentes; somos todos sacerdotes reais. I Pedro 2.9.

Fazemos parte do maior despertamento espiritual depois do livro de Atos, o despertamento  wesleyano, que tem hoje quase 100 milhões de irmãos de origem wesleyana no mundo, o chamado “povo wesleyano”, de origem wesleyana.

Uma denominação que não tem donos, presidente vitalício, “coronéis”, estrelas ou ídolos intocáveis, mas homens simples em sua cúpula.
Que tem eleições e que prova seus candidatos a pastor;
Que acredita na itinerancia, afinal o mundo é nossa paroquia;
que estuda e divulga a teologia, pois quer aprender mais e formar bem seus obreiros,  pra servir melhor o povo de Deus, que não merece ouvir ou ser cuidado por homens e mulheres rasos e despreparados, 2 Timóteo 2.15.

Não somos  perfeitos e acabados. Longe de mim afirmar isso.
Aliás, Alguém sabe onde está a comunidade perfeita?
Não vendemos utopias ou ilosões às pessoas.
Não pensamos de nós “além do que convém” (Romanos 12.3), mas pela graça de Deus, “somos o que somos”, como também disse Pauo em I Corintios 15.10.

Somos assim  históricos, ramo do metodismo histórico, e isso é bom não é? Você conhece a linda  história desse avivamento do Seculo XVIII?

Todavia, ter historia, ter tradição, ter estatutos, ter assembléias, afinal nos faz menos cristãos? Menos avivados?
Ou pelo contrário traz mais segurança pra nossas famílias em tempos de tanto charlatanismo e de ministérios que parecem pequenos impérios  pessoais?
O que você acha?

Em outras palavras pertenço a uma igreja histórica, mas que não se engessou nem optou por extremos.
Em outras palavras:

Tradição sim, tradicionalismo não! Pentecostes sim, dons espirituais sim, retété, barulho pelo barulho, não!
Honra a quem tem honra sim, idolatria e bajulação não! Religião (religare!) sim, religiosidade não!
Santidade sim! Legalismo não!
Firmeza sim, arrogância Não!

Enfim,  o advogado da Igreja é Jesus. Não precisamos nos defender. Nossa trajetória fala por nós.
Foi apenas um desabafo.
Seja feliz por ser wesleyano, mas sobretudo, entenda o que isso significa.

Paz.
Bispo Anderson Caleb

Tags
Mostre mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Além disso, verifique

Close
Close