Do Coração do Bispo

Púlpitos fracos: Igrejas vazias

PÚLPITOS FRACOS: IGREJAS VAZIAS.
Não despreze o poder da pregação.

Bispo Anderson Caleb

A maior obra de Wesley, o trabalho no qual ele gastou mais tempo e com o qual impactou mais pessoas e sua própria nação, foi a pregação. Wesley pregava quinze vezes por semana em média.

Ninguém pode despreza a obra da pregação. Deus não despreza a pregação, afinal o Espírito Santo revelou nas Escrituras através de Paulo a indispensabilidade da pregação na missão redentora de Deus:

“Visto como na sabedoria de Deus o mundo pela sua sabedoria não conheceu a Deus, aprouve a Deus salvar pela loucura da pregação os que crêem.”
1 Coríntios, 1.21

É através dessa “loucura” chamada pregação que  Deus salva e edifica sua igreja.

NÃO SE LIGANDO NO  PODER DA PREGAÇÃO

Alguns pastores entretanto,  não se ligam, não discernem o extraordinário  poder de uma pregação bíblica e por isso pouco se dedicam a arte de pregar. Conheço pastores que nem mesmo gostam de pregar e cedem frequentemente seus púlpitos a outros pregadores, domingo após domingo.

Queridos, não subestimem o poder da pregação!

A Pregação tem poder para:

Salvar,
Edificar,
Esclarecer,
Despertar,
Atrair pessoas,
Avivar etc…

Todavia alguns  estão mais focados em métodos diversos como: música, bandas, corais, teatros, coreografias, orações públicas, anedotas, contar histórias, filmes, vídeos e etc… do que em uma pregação de poder.

O livro “Pregação Poderosa Para o Crescimento da Igreja” de David Eby, Editora Candeia,  aborda com sucesso essa relação.

Você se lembra  daquela velha máxima: ” ovelhas querem pastos verdes”. Mas tem muita gente dando “palha” seca pra seu rebanho.

Preste atenção  nessa pergunta de Deus:
“O profeta que tem um sonho conte o sonho; e aquele que tem a minha palavra, fale fielmente a minha palavra. Que tem a palha com o trigo? diz o Senhor.”
(Jeremias, 23.28)

Querido Pastor, responda a pergunta do texto: Que tem a palha com o trigo?”

Nada não é?
Chega de dar palha ao povo, esmere-se em seus sermões.

COMO MELHORAR A QUALIDADE E O PODER DO PÚLPITO?

Algumas dicas simples e poderosas:

1. Ler mais. Wesley insistia com seus pregadores que lessem mais.
Ele exortou um pregador chamado John Trembath, dizendo:

“Raramente conheci alguém que lesse  tão pouco…por essa razão o seu talento na pregação  não se desenvolve.”

A leitura é um exercício constante dos bons pregadores. Mas o que ler?

Sugiro:
Leia comentários Bíblicos;
Leia sermões de grandes pregadores;
Leia esboços de sermões;
Leia livros sobre pregação, existem muitos;
Sobretudo: Leia e decore a Bíblia!

Em meu programa de leitura anual da Bíblia recebo muitas idéias para novos sermões em minha leitura diária. Você costuma ler a Bíblia toda? Leia a Bíblia.
Isso vai tirar você da superficialidade e do analfabetismo bíblico.

2. Ore. Ore para preparar e receber sermões. Ore antes e depois de pregar. A vida de oração traz a atmosfera do céu e a unção do Espírito ao sermão. E isso faz muita diferença. Alguém disse:

“Não sei bem definir o que é unção, mas sei muito bem quando ela está ausente”.

Aliás, todos sabemos não é?
Muita oração muito poder!
E. M. Bounds já nos ensinou sobre isso em seu best seller ” Poder Através da Oração”, uma leitura obrigatória para pregadores e pregadoras.

3. Desenvolva a arte da oratória, da comunicação e melhore seu português. Por exemplo:
Adquira uma boa dicção,
fale olhando para as pessoas, estude e domine o conteúdo da pregação antes de pregar,
Desenvolva um esboço com tópicos claros;
Prefira sermões expositivos, que explicam e aplicam as Escrituras;
Pregue com a alma e o coração, não só com a cabeça, etc.

CONCLUSÃO

Uma das reclamações que ouço muito  em minhas andanças é sobre a púlpitos fracos . Sei de igrejas que se esvaziaram por não aguentar mais um pregador superficial e sem poder.
Por isso incentivo você pastor, aspirante, presbítero ou missionária a se esmerar e se dedicar mais à pregação.
Esses dias ouvi o Pr Hernandes Dias Lopes dizer numa palestra que leva entre quinze a vinte horas para preparar um sermão. Isso é dedicação. É nós, estamos nos esmerando  assim também?

Tags
Mostre mais

Artigos relacionados

1 thought on “Púlpitos fracos: Igrejas vazias”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Além disso, verifique

Close
Close