Do Coração do Bispo

Tempestade em copo d’água

Por Bispo Anderson Caleb

Fiquei pensando num dia desses enquanto dirigia:
_ Quantos casamentos acabaram…
_ Quantas amizades ruíram…
_ Quantos ministérios chegaram ao fim…
_ Quantas sociedades e contratos terminaram, foram rescindidos…
_ Quantas reuniões, cursos, projetos, sonhos , interrompidos…
_ Quanto desgaste, quantas ações no judiciário, por que?

POR CAUSA DE UMA COISA CONHECIDA COMO: “TEMPESTADE EM COPO D’ÁGUA”.

Por causa de uma pequena dificuldade,
Por causa de uma insignificante diferença de opiniões,
Por se dar uma dimensão muito grande a um problema simples,
Por causa de uma bobagem,Quanta guerra, não é?

Você não acha?

Você é eu já vimos, com certeza, o estrago, que uma “tempestade de copo dágua” pode gerar.

Por isso se você tem essa tendência, a de maximizar problemas, de exagerar as diferenças de opinião, de nunca ceder, eu te convido a continuar lendo este texto. Tenho um convite pra você:

UM CONVITE À “LONGANIMIDADE”

Tem muita gente e, alguns líderes, que por serem extremamente ansiosos, inseguros, sanguíneos, coléricos ou perfeccionistas, frequentemente discutem, confrontam ou se degladiam por pequenas coisas. Na maioria das vezes são questões banais, como:

– A cor da Igreja, da casa, ou do escritório,
– A foto na parede ou a posição do quadro, da estante, etc,
– A posição da mesa ou “na” mesa,
– Uma vaga na garagem ou a posição da vaga,
– Um canal de TV,
– Não constar na escala do louvor ou da pregação,
– Um convite pra pregar ou cantar que não foi feito,
– Uma data pra sair de férias,
– O nome na lista de agradecimento
– A cor do terno ou do vestido,
– Um panetone, uma gravata, um perfume, um cartão de natal, um broche, uma caneta, uma buzinada no trânsito, uma ultrapassagem, etc…

Coisas simples assim podem afastar amigos, sócios e até colegas de ministério. Podem gerar processos na justiça, vingança, e até morte, Acredite se quiser.

Quero te convidar hoje à conhecer uma virtude chamada na Bíblia de “longanimidade”, tolerância, aquela capacidade dada pelo Espírito Santo de suportar contrariedades, de andar a segunda milha. Sei que não é fácil produzir esse fruto, mas se buscarmos o Espírito nos dará. A paciência também é importante e seria um complemento à longanimidade.

Concluo apelando ao seu bom senso pergunto: Vale a pena perder tanto por uma discussão boba? Pense nisso.

QUE 2017 SEJA UM ANO DE MAIS LONGANIMIDADE!
E menos “Tempestades em copo d’água”

Feliz Ser Novo! Feliz Ano Novo!

Bispo Anderson Caleb

Tags
Mostre mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Além disso, verifique

Close
Close