Do Coração do Bispo

Teologia do NÃO

O “não” nunca foi uma palavra muito bem vinda. Ninguém gosta de ouvir um “não” certo? Mas o “não” tem livrado, curado, santificado e salvado muita gente.

1. O NÃO NO PARAÍSO

Pois é, o ‘não’ estava no Paraíso, no Éden, no estado perfeito, no relacionamento perfeito entre Deus e o primeiro casal. “Não” comer da Árvore do Bem e do Mal. Aquele ‘Não’ realmente guardava o Paraíso, a vida no Paraíso.

E hoje não é diferente, quantos paraísos chegaram ao fim depois que alguém transgrediu um “não”, você não acha?

2. OS OITO “NÃOS” DOS DEZ MANDAMENTOS

Não terás outros deuses
Não farás imagens de esculturas
Não tomarás o nome do Senhor tu Deus em vão
Não furtadas
Não Matarás
Não Adulterarás
Não dirás falso testemunho,
Não Cobiçarás…

Esses imperativos com certeza têm guardado nossa fé e nos livrado de inúmeros problemas, vocês não acham? Não precisamos de muita imaginação para perceber o bem que esses “nãos” têm feito à humanidade, à teologia, à família, ao casamento, ao direito e à justiça, à política e a excelência, todas essas instituições são devedoras a esses “nãos”.

3. “NÃOS” QUE SE TRANSFORMARAM EM “SIM” GERANDO INTERCESSORES OUSADOS:

a) O anjo “não” queria abençoar Jacó a princípio, pois foi necessário muita luta, mas ao final, aquela atitude negativa do Anjo do Senhor tornou-se num belo “Sim” que mudou a vida de Jacó, trazendo um Israel à tona.

b) Deus disse não ao povo de Israel no deserto. Sua presença não iria mais com eles. Todavia Moisés intercede, e Deus troca esse “não” por um “sim”.

c) Jesus disse “não” para mulher siro-fenícia, mas ela se humilhou e clamou, e esse “não” de Jesus foi revogado por um “sim” e sua filha foi liberta; esses “nãos” foram pedagógicos, pois levaram essas pessoas a lutarem em oração por um Sim. Em sua soberania e onisciência, Deus sabia que esses “nãos” os ensinariam a prevalecer e lutar em oração.

4.  “NÃOS” QUE CONTINUARAM “NÃOS”, MAS QUE FORAM EXTREMAMENTE TERAPÊUTICOS E PEDAGÓGICOS:

a) Um “Não” para o Apóstolo Paulo.

“e tendo chegado diante da Mísia, tentavam ir para Bitínia, mas o Espírito de Jesus não lho permitiu” (Atos 16.7).

Às vezes nossos sonhos e projetos missionários recebem um Não. Mas o Espírito Santo sabe o que faz. Naquele momento a direção era a Macedônia, onde o Espírito gestava a maravilhosa igreja dos Filipenses. Aceitar um Não do Espírito Santo aos nossos projetos eclesiásticos ou missionários não é fácil, mas é pedagógico e estratégico. O que só se discerne depois.

b) Outro “Não” para Paulo.

Dessa vez foi ao seu pedido de ficar livre de um espinho na carne. Paulo mesmo reconheceu que esse espinho o deixava mais humilde e o livrava da soberba. 2 Co 12.7-9.

Fico por aqui na tentativa de motivá-lo a tentar ver o “Sim” que os “Nãos” de Deus geralmente escondem. Aprenda você também com Deus a dizer sim e não, a ouvir um “sim”, mas, sobretudo, a ouvir e dar valor a um “não” que venha do Senhor. Se depois de um tempo de oração o “não” persistir, descanse, Deus sabe o que faz.

Bispo Anderson Caleb Soares de Almeida é superintendente regional da 1ª Região Eclesiástica

Tags
Mostre mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Além disso, verifique

Close
Close